Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Fonte: AEN

O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou, nesta quarta-feira (29), um convênio para a liberação de R$ 176 milhões em recursos para melhorias em cooperativas e empresas paranaenses, por meio de crédito concedido pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). No mesmo evento, ele também sancionou a lei que autoriza uma nova captação de recursos pelo BRDE junto ao Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), até o valor de EUR 134,6 mil, para investir em infraestrutura urbana e projetos sustentáveis nos municípios paranaenses.

As cooperativas/empresas beneficiadas com os recursos são: A B Comercio de Insumos, C Vale Cooperativa Agroindustrial, Coasul Cooperativa Agroindustrial, Cocamar Cooperativa Agroindustrial, Frimesa Cooperativa Central, Integrada Cooperativa Agroindustrial, Lar Cooperativa Agroindustrial e Rapidium Scmepp S/A. Entre as melhorias contempladas estão o financiamento para novos equipamentos, ampliação da infraestrutura de unidades de armazenamento, modernização de fábricas, entre outros.

“As iniciativas do Governo do Estado visam colaborar com as cooperativas para que continuem investindo e gerando emprego e renda no Paraná. Os recursos atendem as cooperativas em seus projetos de expansão, como ampliação das plantas e barracões industriais. Isso se traduz em mais oportunidades para os parananenses no campo”, disse o governador.

Segundo Ratinho Junior, as cooperativas paranaenses são diversificadas e operam com todos os produtos agrícolas importantes da economia do Estado. “Elas são pioneiras na implantação de novas culturas e projetos, além de terem projeção em toda a América Latina. São, em muitos municípios do Paraná, as atividades econômicas mais emblemáticas e as maiores geradoras de receita”, reforçou.

Para o governador, o sistema cooperado atua em sintonia com a coletividade, atendendo parcela importante da população rural. “O trabalho das cooperativas resulta na agregação de valor sobre o produto primário. Assim, o produtor também consegue reinvestir na atividade produtiva, garantindo desenvolvendo no meio rural”, acrescentou.

Presidente da Lar e do Sindiavipar, Irineo da Costa Rodrigues ressaltou que o financiamento de R$ 80 milhões tomado pela cooperativa será destinado para a indústria de abate de frangos, que está em processo de ampliação. “A Lar é a empresa que mais abate frangos no Paraná, e por essa razão é preciso continuar investindo tanto para ampliar o abate quanto para inovar”, informou.

A Lar investirá R$ 8 bilhões nos próximos dez anos. “Esses investimentos vêm para desenvolver as cadeias produtivas da suinocultura e avicultura, como forma de desenvolver as pequenas propriedades tendo alternativas para além da área de grãos”, acrescentou.

PARANÁ COOPERATIVO – Em quase 60 anos de atuação, o BRDE chega a R$ 58,7 bilhões em crédito, recursos que ajudaram o Estado a diversificar a economia. “As cooperativas paranaenses têm 50 anos de atuação e a agência paranaense trabalha para impulsionar essa atividade desde o início. Neste momento de retomada econômica não é diferente”, apontou o diretor de Operações do Banco no Paraná e vice-presidente do BRDE, Wilson Bley Lispski.

Desde 2020, mesmo diante dos desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus, o banco contratou nos três estados em que atua (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) mais de R$ 3,3 bilhões de créditos, tanto para investimentos quanto para capital de giro. O Paraná registrou o maior volume de contratações: R$ 1,25 bilhão.

“O BRDE oferece soluções de crédito para todos os setores, atendendo a agroindústria e os pequenos municípios paranaenses. O objetivo é propiciar ganhos de produtividade para uma economia cada vez mais forte”, finalizou.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, há uma grande procura por parte das cooperativas por crédito rural, especialmente aqueles por taxas controladas. “Isso é bom para a economia, pois permite ampliar a capacidade de produção da agroindústria, melhora a eficiência dos processos e abre caminho para que possamos sair da pandemia ainda mais fortalecidos para gerar oportunidade e fazer o PIB crescer”, disse.

 

COOPERATIVAS – O Paraná conta com 120 unidades agroindustriais cooperadas, que abarcam 2,48 milhões de cooperados e geram cerca de 113 mil empregos diretos. O faturamento bruto das cooperativas em 2020 foi de R$ 116 bilhões, montante 16% maior que o do ano anterior. Deste total, 86% foram responsabilidade das 59 cooperativas do setor agropecuário. Elas são as maiores empregadoras em 130 cidades do Paraná.

O Sistema Ocepar reúne 217 entidades com 2,5 milhões de cooperados. 65% da produção agrícola do Paraná passa pelo sistema cooperativista, assim como 45% dos produtos pecuários. Só em 2020, foram criados no setor cerca de 10 mil empregos no setor no Estado.

O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, destacou que os recursos reforçam a participação do banco nessa cadeia. “O BRDE sempre foi o nosso grande parceiro em investimentos, e boa parte da representatividade do cooperativismo no Paraná se deve aos financiamentos oportunizados pelo banco”, ressaltou.

Ricken ainda explicou que os quase R$ 180 milhões vão ajudar as cooperativas paranaenses para que concretizem os objetivos do Plano Paraná Cooperativo 200 (PRC200), que visa atingir R$ 200 bilhões de faturamento nos próximos cinco anos. Para alcançar o resultado, elas pretendem realizar investimentos totais de R$ 30,3 bilhões até 2026 nos ramos de atuação que englobam, principalmente, o setor agropecuário, de crédito, saúde, infraestrutura e transporte.

Com isso, o plano é quase dobrar o faturamento atual do setor, passando de R$ 116 bilhões anuais para R$ 200 bilhões nos próximos cinco anos.

 

LEI – A lei sancionada pelo governador Ratinho Junior autoriza o BRDE a contratar com o Novo Banco de Desenvolvimento – NBD (também conhecido como Banco de Desenvolvimento do BRICS, de desenvolvimento multilateral, operado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) operação de crédito até o valor de EUR 134.640,00.

Os recursos integrarão o Programa de Apoio à Infraestrutura Urbana, Rural e Social para Atingimento – PROINFRA SUL, e serão destinados para financiar a ampliação da infraestrutura sustentável da Região Sul do Brasil, necessária ao desenvolvimento econômico e social, através de apoio aos municípios e iniciativa privada.

As ações deverão privilegiar os projetos ligados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, fortalecendo a busca pelos propósitos da Agenda 2030.

“Esse recurso internacional é de longo prazo, com cinco anos de carência e média de 25 anos para amortização do empréstimo junto ao NDB. Ele será voltado para ações de sustentabilidade no Sul do Brasil. O dinheiro será destinado aos municípios, para as cooperativas, agricultura familiar, enfim, toda a gama de setores que atendemos dentro do BRDE”, esclareceu Wilson Bley.

 

HOMENAGEM – Para comemorar seus 60 anos, o BRDE também homenageou com um troféu simbólico os parceiros que, ao longo dos anos, contribuíram direta ou indiretamente com o desenvolvimento da instituição.

PRESENÇAS – Compareceram ao evento o vice-governador Darci Piana; o secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva; o secretário de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes; o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin; o secretário de Estado da Administração e Previdência, Marcel Micheletto; o diretor Administrativo do BRDE, Luiz Carlos Borges da Silveira; os deputados estaduais Ademir Bier e Gugu Bueno; o diretor executivo da Sindiavipar, Inácio Afonso Kroetz; o presidente da COASUL Cooperativa Agroindustrial, Jacir Scalvi; o sócio-diretor da AB Comércio de Insumos, Arney Frasson; o sócio-diretor da Rapidium, Flávio Locatelli Junior; e o vice-presidente da Integrada Cooperativa Agroindustrial, João Francisco Sanches Filho.

Confira os projetos contemplados:

A B Comercio de Insumos Ltda

Valor: R$ 5.197.855,00

Financiamento para ampliação da capacidade de armazenamento estático de grãos da unidade de grãos de Serranópolis do Iguaçu. A capacidade será ampliada em 8 mil toneladas, passando de 9,7 mil toneladas para 17,7 mil toneladas.

O financiamento contempla também a aquisição de dois tombadores de grãos para outras duas unidades da empresa, localizadas em São Miguel do Iguaçu e Entre Rios do Oeste.

C Vale Cooperativa Agroindustrial

Valor: R$ 31.490.000,00

Financiamento dos equipamentos para uma unidade de armazenagem de 92 mil toneladas a ser construída anexa à esmagadora de soja da cooperativa, que contempla 840 mil toneladas.

Coasul Cooperativa Agroindustrial

Valor: R$ 1.663.537,00

Financiamento para a aquisição isolada de equipamentos para a unidade de recebimento de grãos de Nova Laranjeiras.

Cocamar Cooperativa  Agroindustrial

Valor: R$ 16.062.058,55

Financiamento para aquisição de equipamentos para ampliação das unidades de armazenagem de grãos de Floraí, Maringá e Tamarana.

Financiamento para investimentos em adequação e/ou instalação de sistemas de prevenção e combate a incêndio. Os investimentos serão realizados nas unidades de Cianorte, Florestópolis, Japurá, Paiçandu, Panema, Paranacity, Querência do Norte, Tapira, Terra Boa e Umuarama.

Frimesa Cooperativa Central

Valor: R$ 18.247.856,00

Financiamento para investimentos na unidade fabril de Medianeira, com o abatedouro de suínos, e na unidade fabril de queijos, em Marechal Cândido Rondon.

Integrada Cooperativa Agroindustrial

Valor: R$ 23.832.880,64

Financiamento de investimentos para melhorias e modernização em diversas unidades da cooperativa, compra de novos equipamentos, automatização de unidades, além de ampliação da capacidade de armazenagem de grãos da unidade de Astorga em seis mil toneladas.

Financiamento para aquisição de equipamentos de armazenagem para as unidades de Cândido Mota, Cornélio Procópio, Ibaiti e Floresta.

Lar Cooperativa Agroindustrial

Valor: R$ 79.221.508,00

Recurso destinado para o financiamento de obras civis, equipamentos nacionais e capital de giro associado que contemplam a segunda fase de ampliação da produção de carne na unidade industrial de aves de Matelândia. O projeto prevê o aumento no abate de aves em 120 mil unidades por dia, passando dos atuais 340 mil para 460 mil aves/dia.

Rapidium Scmepp S/A

Valor: R$ 900.000,00

Financiamento para disponibilização de recursos a serem aplicados no microcrédito produtivo orientado no Estado do Paraná. O BRDE, através dessa operação, pulveriza e facilita o acesso a crédito para empreendedores paranaenses.