O vice-presidente do Sindiavipar, José Antônio Ribas Júnior, esteve presente no encontro que apresentou o cenário e as necessidades do segmento

Na manhã desta terça-feira (18), entidades do setor avícola dos estados do Sul e de Minas Gerais, além da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), estiveram reunidas em videoconferência com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), para apresentar o cenário atual de pressão dos custos de produção na atividade e a pauta de ações proposta pelo segmento para reduzir os impactos dessas altas nos preços dos grãos. As lideranças reforçaram também a necessidade da agilidade neste processo e de uma audiência com o Presidente da República, Jair Bolsonaro.

“A conversa buscou dar visibilidade para o setor e mostrar que os resultados positivos em geração de empregos e produção não serão a realidade dos próximos meses se não tomarmos medidas. Somos uma atividade competente e resiliente, mas o fôlego está acabando e para isso precisamos que ações sejam tomadas. Não buscamos favor ou subsídios, mas o destravamento de ações que são relevantes para suportarmos esse processo e lá na frente voltarmos ao equilíbrio e à recomposição”, afirma o vice-presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná – Sindiavipar, José Antônio Ribas Júnior, que esteve presente no encontro.

De acordo com Ribas Júnior, a receptividade foi excelente e o presidente do Senado se colocou à disposição para auxiliar o setor nessas demandas. “O Rodrigo Pacheco (DEM) conhece o setor e tem a cabeça muita aberta. Ele ficou surpreso com a realidade que apresentamos e se comprometeu a somar forças, como presidente do Senado, nos pleitos junto ao Governo Federal e na agenda junto ao Presidente Jair Bolsonaro. Nossa expectativa é que ainda essa semana tenhamos definições para colocar essas medidas em prática”, destaca.

Confira, abaixo, a pauta de medidas defendidas pelo setor para reduzir o impacto da alta dos custos de produção na atividade de produção de proteína animal:

  • Autorização excepcional para importação de milho transgênico produzido nos Estados Unidos, com a finalidade exclusiva de uso na ração animal;
  • Suspensão temporária (até dezembro/21) da cobrança de PIS e COFINS sobre a importação de grãos – para empresas que não operam na modalidade Drawback;
  • Suspensão temporária da cobrança de PIS e COFINS incidentes sobre o custo do frete nas operações interestaduais de transporte de grãos;
  • Ampliação do acesso a crédito para construção de armazéns e armazenagem de milho, voltado às agroindústrias e cooperativas de proteína animal do Brasil;
  • Instalação de programas de incentivo ao plantio de Cereais de Inverno, em especial nos entornos dos polos produtores de proteína animal;
  • Linhas de crédito favoráveis para o plantio de milho no verão, com juros adequados, subvenção de seguro e aumento de limite por CPF.

Sobre o Sindiavipar

O Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná – Sindiavipar representa 45 abatedouros e incubatórios paranaenses. Desde sua fundação, há 28 anos, o Sindiavipar tem trabalhado para buscar o crescimento e a sustentabilidade da avicultura do estado, buscando sempre representatividade no mercado interno e externo. Atualmente, o Paraná é o maior produtor e exportador nacional, além de referência em sanidade avícola e responde por mais de 40% das exportações de carne de frango do país, embarcando o produto para mais de 160 países em todo o mundo. Mais informações: sindiavipar.com.br

Informações para a imprensa
Centro de Comunicação
Camila Castro
camilac@centrodecomunicacao.com.br
(41) 3018-8062 | (41) 99972-1904

 

Foto destaque: Pixabay