A avicultura brasileira sustenta o “status” de uma das melhores e maiores aviculturas mundiais devido a sua produtividade e qualidade das aves produzidas, bem como do controle sanitário de seus aviários.

Todavia, quando o assunto é tecnologia na produção avícola, é unânime o reconhecimento de todos os profissionais envolvidas na cadeia produtiva de aves que os aviários brasileiros precisam melhorar em termos de Gerenciamento e do Balanceamento dos recursos disponíveis para a produção de proteína animal.

De uma maneira geral, temos bons resultados zootécnicos e sanitários devido às condições climáticas e operacionais de nossas propriedaes rurais mas, despendemos muita energia para assegurar que a produção mantenha-se em níveis altos e seguros.

Também, é necessário dar mais alguns passos na direção de “bem-estar” e conforto das aves produzídas em nosso país.

Esta visão estende-se para a produção das demais proteínas como ovos, suínos, perús, etc.

Para ambos os assuntos, não há outra direção senão o aumento da Tecnologia de controle e monitoamento dos recursos disponíveis buscando:

  • Produtividade com baixo custo, através de equipamentos de ambiência com baixo consumo de energia elétrica e com grande capacidade de isolamento, o que reduz a perda de energia térmica;

  • Redução de desperdício de ração e aumento da conversão alimentar com alimentadores mais automatizados e inteligentes que possam prever o aumento de demanda de ração das aves automaticamente e, com isso, realizar uma distribuição uniforme da mesma com menor consumo de energia e menor “stress” durante o arraçoamento.

  • Manejo adequado de oferta e qualidade da água para aumentar a capacidade de absorvção do alimento, além de perdas produtivas por desidratação;

  • Sustentabilidade das propriedades rurais através de reaproveitamento dos resíduos gerados pela produção;

  • Bem-Estar e conforto dos animais produzidos através de maior aproximimação do ambiente de confinamento com os recursos naturais àquele animal produzido;

    Como exemplo de novas tecnologias que podem aumentar a produtividade e o “bem-estar” das aves, pode-se sitar alimentadores inteligentes (figura 01) e bebedouros com controle remoto (figura 02), abaixo:

Figura 01: Prato de controle de alimentação eletrônico

Figura 02: Sistema de renovação da água do bebedouro automaticamente por conexão wireless;

IDENTIFICAÇÃO DO AUTOR

M. M. OZÓRIO

Crédito da imagem: Divulgação Plasson
a Plasson do Brasil, Departamento de Desenvolvimento de Produtos, maikel@plasson.com.br, Rua Otávio Dassoler 4075 CEP 88812-850, Criciúma - SC, Brasil;