Ao todo, 1,95 bilhão de aves foram abatidas no estado do Paraná, segundo dados do Sindiavipar

A atividade avícola no Paraná mostrou a sua força em 2020. Mantendo suas atividades durante a pandemia da Covid-19 e alimentando famílias de todo o mundo, o setor apresentou crescimento nos índices de produção e exportação de frango. Ao todo, 1,95 bilhão de aves foram abatidas no estado, segundo dados do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná – Sindiavipar. O número é 4,5% superior à produção de 2019, quando 1,87 bilhão de aves foram abatidas.

O presidente do Sindiavipar, Irineo da Costa Rodrigues, destaca que o principal problema enfrentado mundialmente no ano passado foi a pandemia, que exigiu adaptações e investimentos. Entretanto, foi preciso também a compreensão, de alguns segmentos da sociedade, de que a área de alimentos era tão importante quanto a da saúde, e que não poderia parar. “O setor de alimentos do Brasil provou que é possível se adaptar e manter a produção em condições saudáveis. Sempre tivemos um rigor muito alto com a higienização, antes mesmo do surgimento da pandemia”, explica. Rodrigues ainda reforça que um dos pilares da força do segmento continua sendo a sanidade.

Exportação

Embarcando seu produto para mais de 160 países, a avicultura paranaense também apresentou alta na exportação em 2020, mantendo-se como maior produtora e exportadora de carne de frango no país. De acordo com o portal Comex Stat, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, no Paraná, 1,64 milhão de toneladas foram enviadas ao exterior, o que representa 33,68% do total produzido no estado. Comparado com 2019, quando 1,58 milhão de toneladas foram exportadas, o aumento nos embarques foi de 4,2%. Com estes números, o Paraná foi responsável por 39,62% de todos os embarques de produtos avícolas feitos pelo Brasil.

Ainda segundo o Comex Stat, os principais compradores da carne de frango paranaense foram: China (354,8 mil toneladas), África do Sul (139,9 mil toneladas), Emirados Árabes (118,5 mil toneladas), Japão (114,3 mil toneladas) e Arábia Saudita (92,9 mil toneladas). O total das exportações resultou em uma receita de US$ 2.319.783.641, valor 9,6% menor que o de 2019.

Expectativas

Conforme a vacinação contra a Covid-19 for avançando no Brasil, e seus efeitos forem percebidos, será possível a retomada da economia e o aumento nos postos de trabalho, a expectativa do setor é positiva. “O agro brasileiro se saiu bem em 2020, em plena pandemia, e para nós as perspectivas para 2021 são muito boas. Esperamos um ano melhor, no qual a economia brasileira vai ter um crescimento significativo, termos mais emprego, e maior renda para consumo de alimentos, portanto estamos bem otimistas”, finaliza o presidente do Sindiavipar.

 

Sobre o Sindiavipar

 

O Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar) representa 45 abatedouros e incubatórios paranaenses. Desde sua fundação, há 25 anos, o Sindiavipar tem trabalhado para buscar o crescimento e a sustentabilidade da avicultura do estado, buscando sempre representatividade no mercado interno e externo. Atualmente, o Paraná é o maior produtor e exportador nacional, além de referência em sanidade avícola e responde por mais de 39% das exportações de carne de frango do país, embarcando o produto para mais de 160 países em todo o mundo. Mais informações: sindiavipar.com.br

Leia Mais do Conexão Sindiavipar

Foto: Crédito Sindiavipar