Trabalho de prevenção e monitoramento junto a colaboradores e comunidades e integração com estruturas oficiais foram destacados em videoconferência do setor e público e produtivo

O trabalho desenvolvido pelo setor de saúde ocupacional das empresas avícolas, seja no ambiente interno das empresas ou nas comunidades, assim como a integração com os organismos municipais de saúde e do estado devem continuar a ocorrer e serem cada vez mais incentivados como forma de combater o avanço do coronavírus no Paraná. Este cenário foi debatido nesta terça-feira, 16 de junho, em videoconferência realizada a convite da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

O evento reuniu mais de 90 participantes do agronegócio e governo, entre eles o secretário de Saúde do Estado do Paraná, Beto Preto, o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), Domingos Martins, o secretário da Agricultura e Abastecimento (Seab), Norberto Ortigara, o diretor presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Otamir Cesar Martins, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, o presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ágide Meneguette, o gerente dos Conselhos Temáticos e Setoriais da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), João Arthur Mohr, diretores de empresas e cooperativas sediadas no estado.

Este foi o segundo encontro com o objetivo de facilitar a troca de informações e o esclarecimento de dúvidas entre o setor produtivo e governo. Beto Preto destacou como pontos positivos a existência de empresas que contam com setores de saúde ocupacional estruturados, até mais robustos do que de alguns pequenos municípios, assim como pelo fato do grande conhecimento das regiões em que estão inseridas. Neste sentido, foi destacada a necessidade do setor continuar a desempenhar este papel pró-ativo em relação à pandemia por meio desta rede de cooperação entre as equipes de saúde ocupacional das empresas e órgãos de governo.

Para o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins, o trabalho conjunto desenvolvido entre setor produtivo e governamental contribui para manter o setor avícola produzindo alimentos para a sociedade. Martins destacou que esta ação vem se somar ao trabalho de prevenção à Covid-19 adotado nas empresas, assim como na necessidade das pessoas manterem esta postura fora dos seus locais de trabalho, nas comunidades nas quais estão inseridas. “O bem-estar das pessoas é prioridade neste momento, com as empresas atuando em conjunto com os órgãos públicos, e mantendo os investimentos em ações voltadas à prevenção, higienizando veículos, monitorando temperaturas, utilizando EPIs e cuidando dos distanciamentos”, destaca.

Presente à videoconferência, o secretário-adjunto de Defesa Agropecuário do Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA), Marcio Rezende Evaristo Carlos, destacou a importância deste trabalho conjunto para agir preventivamente contra o coronavírus. Para Rezende, iniciativa está alinhada ao trabalho do Mapa de contribuir para manter a produção de alimentos, com equilíbrio entre saúde e abastecimento para a população.